O consumo digital veio para ficar

  • 18/05/2021
  • 10:20
O consumo digital veio para ficar

O consumo digital veio para ficar

Como isso impacta o turismo empresarial?

Muita coisa mudou de 2020 para cá: pandemia, isolamento social, home office, delivery de tudo. Não dá para negar que o mundo está muito mais digital e isso não é transitório: o consumo digital veio para ficar.

 

O relatório Varejo 2021, da Adyen, mostrou que as medidas de distanciamento social causaram efeitos em várias áreas e impulsionaram significativamente a digitalização. De abril a junho de 2020, no início da crise sanitária, mais de 5,7 milhões de novos consumidores digitais foram registrados no país. Puxado pelas compras online, o número de brasileiros que não possuíam vínculo com instituições financeiras também caiu em 73%.

 

Para ter chance nesse novo cenário, muitas empresas correram atrás da digitalização de seus processos para entregar serviços flexíveis e sem dificuldades. Isso porque as mudanças trazidas pela digitalização na experiência do consumidor não poderão voltar atrás: 91% dos consumidores esperam que os negócios mantenham a flexibilidade que demonstraram durante a pandemia.

 

Digitalização no mercado de viagens

Em um mundo onde tudo está a um clique de distância e que a tecnologia foi uma grande aliada, não apenas para facilitar a rotina, mas também diminuir a exposição do consumidor durante a pandemia, esse comportamento de consumo se estende a todos os mercados.

 

Não é só o varejo que precisou se adaptar para continuar entregando. O viajante não está mais disposto a abrir mão da experiência digital positiva — que ele teve ao pedir uma refeição ou comprar uma camisa — na hora de viajar a trabalho. Assim como as empresas, que já possuem uma rotina digital desburocratizada, não querem abrir mão desses benefícios ao contratar uma viagem.

 

Um exemplo da adesão aos caminhos digitais é hoje o cartão virtual, a solução preferida pelas empresas como meio de pagamento das despesas das viagens empresariais. Entre os clientes da B2B, mais de 65% utilizam essa opção na quitação da hospedagem, o que reforça o perfil digital dos usuários.

 

A digitalização é o caminho mais assertivo para quem pretende ter bons resultados daqui em diante no turismo corporativo. Soluções como as oferecidas pela B2B Reserv@as, por exemplo, apontam para uma realidade digital muito mais ágil, segura e eficiente com a integração digital da reserva ao pagamento.

 

Gostou deste conteúdo? Acompanhe nossa página no LinkedIn